*Por Beá Moreira

 

Segredos, tenho muitos! Medos, também!

Os segredos eu os crio, mas os medos, vêm!

Os medos são o dedo em riste, apontando minhas falhas!

O medo é reprovador, me enfraquece, me atrapalha!

O medo, é constatação de que não sei se conseguirei!

O medo é sensor e crítico! Ameaça o que eu já sei!

O medo é limite, covarde e atroz!

O medo manda e desmanda!

O medo grita, tem voz!

O medo comanda e dirige.

Se mistura no meio de nós!

O medo assusta e aflige!

O medo é verdugo, é algoz!

O medo só vai embora quando eu assumo quem sou.

Agradeço a vida que tenho.

Aceito o que já passou.

E assim guardo segredos que criei dentro de mim!

E levo todos, sem medo,

São a vida, até o fim.

 

* Beá Moreira é Cientista Social, e comenta sobre o cotidiano e suas nuances, de forma descontraída e despretensiosa, buscando fazer do leitor de qualquer idade, um companheiro de bate papo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *