A Presidente da Fundacc – Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba, Professora Silmara Mattiazzo, demitiu o historiador e Diretor do MAC – Museu de Arte e Cultura, Alexander Comnene no último dia 15 de janeiro. Além de Alex outras sete exonerações foram feitas no mesmo período, antes de sua viagem de férias a Bahia. As exonerações tiveram caráter político e estariam relacionadas a Presidência do Biênio 2019/2020 da entidade. A Fundacc não explicou o motivo das demissões.

Junto com Alexander outras sete pessoas foram exoneradas, dentre elas José Carlos Ferreira, primo do Vereador Fernando Cuiú, senhores de nome Éder e Fernando, além da esposa de um Vereador. Alex não ficou sabendo o motivo da sua exoneração, que foi deixada assinada pela Presidente da Fundacc antes de sua saída de férias para a Bahia, a qual já retornou, tanto à cidade como ao trabalho.

Nos bastidores a questão está sendo tratada como vingança política, visto que Alex é ligado ao Prefeito e Silmara tem estreita ligação com o pai do Prefeito. Há informações de que tanto o ex-Prefeito, o Prefeito atual e a Primeira-Dama não tiveram conhecimento das reais razões da exoneração de Alex e das outras sete pessoas. Alex mantêm também uma ligação com o ex-Prefeito, visto que fechou apoio com ele 10 dias antes do pleito de outubro de 2016.

No meio político o grupo dominante aguarda uma resposta de Silmara, seja pela manutenção, seja pela revisão da demissão do grupo. Mensagens tem sido trocadas entre Alex, o ex-Prefeito e o Prefeito atual, mas tudo leva a crer que Alex não será readmitido. Em entrevista exclusiva concedida ao Blog Contra & Verso o Prefeito Aguilar Júnior disse que iria conversar com Silmara, mas adiantou que o Museu está sob a jurisdição da Fundacc e ela tem liberdade para nomear e exonerar quem ela quiser.

Indagada sobre o caso a Assessoria de Comunicação da Fundacc respondeu apenas que as nomeações e exonerações são de total responsabilidade da Presidência da Fundacc.

As exonerações estão intimamente ligadas a Eleição da Presidência da entidade para o Biênio 2019/2020, muito antes da candidatura de Valdeci Silva, pois a maioria dos Conselheiros queria Alex Comnene na Presidência da Fundacc, mas o Diretor do Museu achou que seria antiético candidatar-se contra a atual Presidente e sua superior hierárquica e por isso, declinou do convite, vindo em seguida Valdinei, que foi derrotado por Silmara.

Fontes confidenciam o clima pesado e austero que se instaurou na Fundacc, onde não faltaram ameaças, pressão, bullying e assédio moral, não só na entidade, mas também quando Silmara foi Secretária de Educação na gestão do ex-Prefeito, pai do Prefeito atual. A seguir a sequência de acusações.

Em 21 de novembro, dia da Eleição na Fundacc, havia um grupo que criticava Silmara e por causa disso, o Diretor Alex Comnene foi ameaçado, juntamente com outras pessoas, pelo motorista da Presidente, que tem o nome de Zenon e conhecido pelo apelido de Biquinha. Em 12 de dezembro, numa reunião com outras sete pessoas Silmara teria dito em alto e bom som que Alex não era mais de sua confiança e naquele instante, obrigou a sua saída do Conselho Municipal de Políticas Culturais e do Sistema Municipal de Cultura, tendo inclusive que falar o seu CPF para entrassem no sistema computadorizado e trocassem a senha de acesso. Em oito de janeiro deste ano foi novamente ameaçado pelo motorista Biquinha e este teria indicado que existe um plano interno para boicotar Silmara, vindo de uma Secretaria Municipal.

Já no seu período como Secretária de Educação, em 2006 nos foi relatado por fontes o caso de ameaça envolvendo uma professora, que teria percebido erros na Prestação de Contas Trimestral, quando esta fazia parte do Conselho Municipal de Educação. O Blog Contra & Verso obviamente não revela o nome de suas fontes e prefere, neste caso, manter em sigilo o nome desta professora. Na Prestação de Contas observou-se que a verba que compunha o salário dos professores do 1º ao 8º ano era direcionado para o pagamento das Creches e Educação Infantil, além da compra de uma Van sem licitação e o pagamento em dinheiro da Licença Prêmio de alguns professores.

De acordo com as informações esta professora levou o caso ao Sindserv – Sindicato dos Servidores Municipais de Caraguatatuba – e foi aberto processo em três instâncias. A Polícia Federal constatou o erro na época e devido a isso, tornado a professora inelegível. Em virtude dos fatos Silmara teria ido até a escola desta professora, ameaçando-a em público e com o dedo em riste com a seguinte frase; “Cuidado Professora, você está procurando pelo em ovo”. O resultado disto foi a professora mudando o número do seu telefone e apresentando depressão profunda. Perante o Juiz Silmara alegou desconhecer os fatos que a teriam levado até lá.

Silmara Mattiazzo atualmente está inelegível devido ao caso Mamulengo, quando era Secretária Municipal de Educação na gestão do pai do atual Prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *