TEMOS QUE SABER ENVELHECER

Saber Envelhecer

Eu sempre digo para minha filha que a vida é como uma escada e que cada degrau representa um momento, uma fase na vida. Digo também que você não pode voltar nenhum degrau e muito menos pular 2 ou 3 degraus, pois vai perder a seqüência e estragar a sua vida.

Neste texto vamos falar sobre a última sequência da escada da vida; quando ficamos mais velhos, quando nos tornamos idosos, quando para alguns, nos tornamos obsoletos e sem uso.

Você nunca soube quando foi criança, sabe que ficou jovem por que seus tios e avós te chamam de “mocinho”, entra para a puberdade quando o desejo te consome e aquela menina não é mais tão chata quanto era no passado. Você descobre que é adulto quando se forma na Universidade, quando começa a trabalhar e tomar certas decisões sem precisar perguntar para sua mãe. Mas quando você descobre que está envelhecendo???

A partir deste texto não vou mais chamar um velho de velho, mas sim de idoso, de mais experiente, mais vivido. Posso até citar o termo envelhecido, mas provavelmente poderei me confundir com um bom Jack Daniels, um Bourbon de qualidade, envelhecido em barril de carvalho, o famoso número 7.

Muito bem, quando você descobre que ficou mais experiente, mais vivido??? Um dos pontos chave é quando seus amigos começam a morrer e aí vem aquele velho papo. “Lembra do fulano, sim lembro. É ele morreu ontem!!!”, ou então “Soube do cicrano, ele morreu noite passada. Que chato, é o segundo amigo na mesma semana!!!” Mas a razão deste texto é outra: O interessante não é ficar idoso, experiente ou vivido, mas sim aprender a envelhecer, saber envelhecer!!!

Geralmente o mais experiente fica ranzinza, se acha no direito de dizer o que quiser e a hora que bem desejar. Para o mais vivido, sua maioridade lhe dá direito de sair correndo para entrar primeiro na fila, entra gritando que a fila dos idosos é a dele e que ninguém pode entrar. Na Terceira Idade o tema principal das conversas é o choque de gerações com o seu filho e neto e entre os amigos o mote principal são as lembranças dos ditos “velhos tempos”.

Mas o que é saber envelhecer??? Primeiramente é estar antenado com os dias de hoje, conhecer tecnologia e debater suas facilidades e fragilidades, é debater o presente conhecendo-o e usando como base o passado e conjecturando sobre o futuro. Ser mais vivido é orientar os mais jovens, quando eles pedirem, sobre qual caminho devem seguir, sobre como devem fazer e quem devem apoiar. O mais experiente envelhece com sabedoria oferecendo seus préstimos aos mais necessitados e menos inteligentes. Saber envelhecer é participar ativamente no meio em que interage, é não se entregar ao cansaço e nem a doença, é praticar exercícios dentro de suas possibilidades e viver cada dia com a mesma intensidade dos tempos da juventude.

Nos tempos de hoje, onde a sociedade privilegia o mais belo, mais novo, o que mais tem posses, o mais experiente, mais conhecedor, mais inteligente e adepto do “eu sou” ganha pontos se impor o respeito necessário a estes jovens e “matraqueiros” adultos e por fim, no relacionamento a dois, enquanto as mais vividas descartam os mais experientes pela falta de vitalidade, as mais jovens e curvilíneas preferem os da maioridade pela experiência ao longo das últimas décadas. O mais experiente ou mais vivido não pode ser um entrave perante o seu grupo na sociedade, mas sim parte integrante, ativa e indispensável, pois seus conselhos serão de grande valia para o futuro das gerações.