A Câmara de Vereadores é a chamada “Casa de Leis” e lá estão instalados, por quatro anos, os fiscais do povo, aqueles que foram eleitos pela População para elaborar Leis e Fiscalizar os atos do Prefeito. Infelizmente em Caraguá esta praxe e função não tem sido seguida a risca tornando o Legislativo local uma Casa Inexplicável.

É papel da população reclamar daquilo que não esteja certo ou dentro dos seus padrões de entendimento e os eleitores reclamam mesmo, bastando não concordarem para reclamar e esbravejar, seja no seu grupo de amigos, na rua de forma aleatória para desconhecidos e atualmente e com mais periodicidade, nas Redes Sociais.

Dentre este universo de reivindicações, reclamações, pedidos e sugestões, o leitor e internauta vai reparar que os cargos do Legislativo são os mais criticados. Qual seria a razão disso??? Seja no Senado, Câmara Federal, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais. Obviamente que suas ações justificam as críticas dos moradores e em Caraguá, na Câmara Municipal o caso não poderia ser diferente.

A atual gestão da Mesa Diretora, sob o comando do Vereador Francisco Carlos Marcelino é a prova cabal disso que já teria dado indícios de que o Orçamento anual do Legislativo deve ser gasto na integralidade. No meio jurídico e político há vertentes que defendem esta linha de pensamento, desde que seja feito com transparência, no uso do melhor custo/benefício e sob total prioridade e interesse público.

Iniciamos pela nomeação do atual Diretor Geral do Legislativo, o ex-Vereador Wilson Agnaldo Gobetti, impugnado pela TRE – Tribunal Regional Eleitoral – e considerado Ficha Suja, seja pela Justiça Eleitoral e por Lei Municipal elaborada pelo ex-Vereador Pedro Ivo Tau, atualmente Secretário Adjunto do staff do Executivo. Informações dão conta de que a esposa de Gobetti teria sido nomeada no cargo para evitar problemas com a Justiça, onde certamente quem daria as ordens seria o ex-Vereador. Fontes nos confidenciam que houve um pequeno entrevero entre Gobetti e o atual Presidente da Câmara, que resultou na nomeação irregular de Gobetti, que atualmente faz expediente na Casa de Leis.

Outro fato inexplicável diz respeito ao troca-troca entre Vereadores na função de 2º Secretário da Mesa Diretora, neste caso os Parlamentares De Paula e Dennis Guerra. O primeiro estava inscrito na chapa de Carlinhos da Farmácia e foi eleito em 20 de dezembro do ano passado numa eleição turbulenta. Passado o Reveillon e em seguida ao iniciar o ano Legislativo De Paula pediu para ser retirado da chapa sendo as suas alegações desconhecidas. Ao mesmo tempo foi aberta a vaga e durante a Sessão Ordinária em seguida do pedido de saída, houve a votação e eleição do Vereador Dennis Guerra, com oito votos. Não se sabe a razão pela qual o Vereador Corporativista teria pedido para sair, mas segundo o Vereador Amigo Cão alega, o mesmo estava em uma chapa registrada aonde tinha um candidato a presidente, a qual decidiu não ficar por muitos motivos envolvendo escândalos na eleição da mesa, conforme postagem na sua página nas Redes Sociais no dia da eleição. Quanto a eleição 2º Secretário, afirma que deixou o seu nome à disposição, recebendo oito votos, agradecendo os nobres que votaram nele.

E dentro desta linha de fatos inexplicáveis consta o Projeto de Lei do atual Presidente que cria o Dia do Refugiado, que para a alegria de alguns, homenageia apenas seis Africanos que moram no Brasil, vendendo produtos da 25 de Março de forma irregular na cidade, fato esse que gerou até um Boletim de Ocorrência entre o dito “Refugiado” e um Fiscal do Comércio da Prefeitura. Na verdade o sexteto não pode ser considerado Refugiado, pois não há questões políticas ou ideológicas que os obrigassem a vir para o Brasil. A vinda na verdade obedeceu critérios econômicos e de trabalho. O Contra & Verso já se manifestou contrário ao título de Refugiado que é dado a todo aquele que deseja sair do seu país.

Continuando na onda dos inexplicáveis fatos do Legislativo local há também o aluguel de um anexo, na mesma rua da Câmara, para abrigar nove Vereadores fora do prédio principal. Segundo informações o prédio já foi alugado e a ocupação deve ocorrer nos próximos dias. Quanto a divisória de vidro blindex que será instalada entre o plenário e as galerias da Câmara medindo cerca de 1,80 metros de altura, o processo está avançado e deverá ser feito pelo Engenheiro Nílton de Oliveira e Silva, atual Presidente da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Caraguatatuba – AEAA-C – entidade que defende abertamente a atual gestão política na cidade. Os carros com motorista, promessa do atual Presidente, estão sendo oficializados e entregue também nos próximos dias. Sabe-se apenas que virão os carros com um motorista, desconhecendo-se o número de veículos.

Há fatos que de tão inexplicáveis não deixam margem para uma pessoa raciocinar sobre como teria ocorrido. Conforme o mailing da Assessoria de Imprensa da Câmara uma descarga elétrica ocorrida devido às fortes chuvas em 22 de Fevereiro, teria queimado todo o sistema de som, gravação e filmagem do Legislativo, o que teria impedido a realização da Sessão Ordinária no dia 26, sessão essa onde seria votado um pedido de criação de CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito sobre um áudio duvidoso de autoria do ex-Prefeito José Pereira de Aguilar e um pedido de Cassação do seu filho, o atual Prefeito, de autoria de José Luiz das Neves. Haveria explicação o fato do sistema não ter sido consertado em dois dias, ainda mais com uma pauta tão importante???

Se a Casa de Leis é a Casa do Povo, como se explica o fato do Fiscal da Vigilância Sanitária que fez uma queixa contra o atual Presidente da Câmara, que trabalha numa Farmácia que foi interditada por irregularidades, ter sido denunciado por conduta irregular??? É bom lembrar que em vez anterior o Presidente da Câmara pediu a troca da chefe da equipe quando a mesma autuou a farmácia, emitindo multa por irregularidades.

No fechamento deste texto recebemos informações de que provavelmente o Projeto de Empréstimo de R$ 60 milhões para a construção do novo Paço Municipal e do prédio da Câmara deverão ser votados amanhã – terça-feira, 12 de Março.

Para fechar este Circo de horrores e fatos sem explicação, se você precisou da Câmara a partir da Quarta-Feira de Cinzas pode esquecer, pois o expediente só retornou hoje, dia 11, segunda-feira. E que venham as explicações!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *