Por Bea Moreira *

 

Esse me apavora!

Cada minuto, cada hora!

É uma dúvida tão certa.

E então, horas incertas

Levam dias pra passar.

E o dia, que passa vadio,

Deixa em meu peito um vazio,

Leva o meu tempo no ar!

O tempo que nunca tem tempo

Para parar de passar.

O Tempo, que bem a tempo,

Me assiste ao vê-lo chegar.

E me assusta, esse tal de tempo.

E eu vejo o tempo escoar.

Na verdade esse nome, “Tempo”,

É o nome que se dá

A um monte de saudade,

E mais saudade que virá!

 

* Beá Moreira é Cientista Social, e comenta sobre o cotidiano e suas nuances, de forma descontraída e despretensiosa, buscando fazer do leitor de qualquer idade, um companheiro de bate-papo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *