O Blogueando de hoje vai falar sobre os Artesãos, sobre São Sebastião, transporte alternativo nos Supermercados e outros vários assunto que ocorrem diariamente na cidade.

 

 

 

 

 

Feira

Você sabia que a Feira de Artesanato, localizada na Praça Diógenes Ribeiro de Lima, na Avenida da Praia é o segundo ponto mais visitado da cidade depois das praias??? Que o lugar é bom ninguém duvida, apenas que merecia um melhor tratamento por parte da Prefeitura.

 

Artesão

E a Feira de Artesanato enfim foi contemplada com a sua merecida reforma, isto depois de muita chuva e reclamação por parte de seus integrantes.

 

Promessa

Durante a campanha de 2016 o Bagre Velho, quando ainda teimava em dizer que seria candidato, reuniu-se com os artesãos e prometeu que faria uma nova praça, com melhor estrutura e padronização das barracas.

 

Chuva

De lá para cá o que teve de chuva e esquecimento daquele povo não estava no gibi. O povo de lá perdeu a paciência e criticou severamente Aguilar Pai, o que deve tê-lo deixado com a orelha em chamas, de tanto que falaram!!!

 

Cultura

O primeiro projeto de uma nova área para os Artesãos havia sido anunciado há mais de seis meses pela Presidente da Fundacc – Silmara Mattiazzo e teria lugar na Praça da Cultura, onde comumente são realizados os shows musicais.

 

Diógenes

Mas pelo visto o negócio mudou, ou melhor, permaneceu onde sempre esteve, que é a Praça Diógenes Ribeiro de Lima, na Avenida da Praia há pelo menos 30 anos.

 

Esperança

Resta saber se as obras vão terminar no prazo esperado e se o melhor preço e a melhor empresa foi escolhida para a obra. A Prefeitura estima que até o final do ano, as portas da temporada de Verão 2018/2019 tudo esteja pronto.

 

Fiscal

Mesmo com uma praça nova, barracas padronizadas e artesãos mais contentes, não se deve esquecer que uma fiscalização intensa tem que ser feita no setor, pois são várias e antigas as reclamações de artesãos que não são artesãos e convivem com quem se dedica exclusivamente a esta digna arte.

 

Ainda Não

E o Governo do Estado, através da Secretaria dos Transportes ainda não definiu a liberação da SP-55 requisitada pela Prefeitura de Caraguá. O processo já vem se arrastando há pelo menos 10 meses.

 

Filho

Tramitava na Câmara de São Sebastião Projeto de Lei que obrigava os filhos de políticos locais a matricularem seus filhos na Rede Pública Municipal de Ensino.

 

Projeto

O Projeto é Inconstitucional!!!

 

Arquivado

O Projeto foi arquivado pelos Edis da cidade vizinha. Não se pode obrigar ou direcionar a matrícula escolar numa determinada escola, seja ela pública ou privada.

 

Discordância

Se analisarmos a fundo a questão o projeto não teria necessidade se o famoso Bom Senso ainda vivesse na cabeça das pessoas, principalmente dos políticos, pois se os mesmos gerenciam e fiscalizam o bom andamento do Ensino Público e nele confiam como sendo o melhor para a maioria da população, porque não matricular os próprios filhos neles???

 

Suplente

Um ex-Vereador e atualmente suplente da atual Câmara local disse bem antes da elaboração da proposta em São Sebastião que faria o mesmo na cidade.

 

Objetivo

Como afirmamos anteriormente a razão e o objetivo da proposta é bem-vinda, pena que esbarra na Constituição, que não permite tal procedimento.

 

Alternativo

Ao mesmo tempo projeto de Lei que regulariza o transporte alternativo nos Supermercados de São Sebastião foi aprovado.

 

Transporte

Transporte Alternativo em Supermercados, leia-se, carros que levam o cliente e suas compras ao mesmo tempo, ao contrário dos caminhões de entrega, onde o consumidor retorna para casa e a mercadoria comprada segue posteriormente.

 

Local

Em Caraguá a situação ainda não foi definida, pois Câmara e Prefeitura fazem vista grossa para o problema, que recebe críticas ferrenhas dos taxistas regulamentados na cidade.

 

Opções

Fica a dúvida de como regularizar aqueles trabalhadores que exercem a função diariamente. Seriam eles membros da categoria de transporte alternativo, pagando taxas e se desvinculando de quem os agencia junto aos Supermercados da cidade ou torná-los taxistas regulamentados, com tarifa baseada no taxímetro para cada viagem de entrega.

 

Tarifa

Estes trabalhadores são agenciados por uma pessoa, que firmou contrato com os Supermercados. Para cada viagem de entrega, dependendo da localidade, há uma tarifa diferente e deste valor, 40% cabe ao motorista e o restante para o agenciador, que possivelmente paga uma porcentagem ao Supermercado como regra de contrato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *