E a coluna de hoje aborda a retirada das barracas de Bananas que por mais de 40 anos estavam instaladas as margens da SP-99 – Rodovia dos Tamoios. Há pelo menos 60 dias as mesmas foram retiradas e nada foi e tem sido feito para resolver a questão.

 

Bananeiros

E a comoção semanal, quando ocorreu, na cidade ficou a cargo da retirada das barracas de Banana das laterais da SP-99 – Rodovia dos Tamoios. Muito se reclamou, muitos se emocionaram, mas nada de concreto ou efetivo a favor deles foi feito.

 

Tradição

As barracas de Banana a beira da SP-99 tornaram-se tradição ao longo dos anos na cidade. Muitas gerações compraram Bananas, seja na chegada como na saída pela Tamoios durante estada na cidade.

 

Gerações

Ao mesmo tempo o comando das barracas passaram durante os anos de pai para filho e deste para netos, tudo isso de forma artesanal e que garantiram o sustento de várias famílias que exploraram a venda da fruta mais popular da região e do país.

 

Segurança

Mas o tempo passa, as regras mudam e os acontecimentos fazem a história do lugar. Com a duplicação da Tamoios, sua revitalização e construção dos Contornos Norte e Sul a concessionária viu por bem retirar as barracas, em nome da segurança viária.

 

Retirada

E sendo assim, simplesmente as barracas foram retiradas, ou seja, destruiu-se uma tradição de pelo menos 40 anos na cidade sem que nada fosse feito para salvaguardar este comércio e suas famílias.

 

Diferente

Engraçado que com as Bananas foi feito o despejo e tudo bem, mas com outros pontos comerciais ao longo do trecho de planalto da Tamoios o tratamento foi outro. Rotatórias, retornos, obras viárias e até a reconstrução de antigos estabelecimentos foram feitos para que não houvesse prejuízo.

 

Proporção

Na opinião deste Blog o mesmo deveria ter sido feito em prol das barracas de Bananas, nas devidas proporções é claro, mas algo deveria ter sido feito e não apenas despejar e ponto final!!!

 

Aviso

Outro fato que chama atenção é o de que os barraqueiros já tinham sido avisados e estes, com certeza pediram auxílio as autoridades para que algo fosse feito, o que obviamente não ocorreu!!!

 

Descartados

Antes de serem descartados a concessionária Tamoios ou a Prefeitura de Caraguá poderiam ter pensado em algo para não destruir uma tradição e o custeio das famílias que exploravam a venda de Bananas a beira da SP-99.

 

Quiosques

Um exemplo do que poderia ter sido feito seria a construção de quiosques em locais pré-determinados pela concessionária, onde seria garantida a segurança viária, o sustento das famílias e a manutenção da tradição.

 

Turismo

Se aprofundarmos o pensamento sobre a questão poderíamos incluir as barracas de Banana como parte da engrenagem do Turismo na cidade.

 

Produtos

A venda das Bananas e seus subprodutos como Doce de Banana, Geleia de Banana, Banana Chips e a própria Banana in-natura seriam servidos no cardápio destes quiosques para os Turistas e quem se interessasse.

 

Exemplo

Um exemplo disto é a Banana Chips produzida no Litoral Sul do Estado. Lá eles cortam a Banana Nanica ainda verde, cortam em rodelas finas, fritam em óleo bem quente e depois de secar em papel absorvente, colocam sal e vendem em porções pequenas. Simplesmente uma delícia!!!

 

Moção

Segundo consta a Câmara iria elaborar uma Moção de Repúdio em decorrência do fato, mas até o momento, ao que parece, nada foi feito.

 

Opção

Ainda no quesito Turismo as Bananas poderiam ser incluídas como visitação aos Turistas, assim como o Pescado, Cerveja Artesanal, Tradições Caiçaras, dentre outros.

 

Solução

Finalizando uma solução para o caso existe e sempre existiu e não é este Redator que será o dono da verdade em ter pensado e conjecturado sobre o fato, ou seja, outras pessoas pensaram o mesmo e pessoas em cargos e posições mais importantes, com força para executar e gerenciar!!!

 

Realizar

Será que antes que eu encontre o Todo Poderoso terei a chance de ver toda essa discussão realizada e o Turismo de Caraguatatuba uma potência regional e referência nacional???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *