Fachada Câmara 2006 01

 

Em ano de eleições municipais como este não faltam previsões, opiniões, resultados de pesquisa registrada e informal, conjecturas, avaliações e especulações. Entre mitos, verdades e mentiras o mais certo é que mudanças e troca de cadeiras existirão. Quais serão estas mudanças, ou melhor, quem fica ou sai em 2017?

A Câmara Municipal de Caraguatatuba é composta por 15 Vereadores e atualmente habitada por 7 partidos; PR, PSDB, PTB, PSD, PPS, PSB e PMB. Nesta composição figuram os respectivos Vereadores: Julio Alves/PR, Neto Bota, Baduca Filho, Vilma Teixeira, Lobinho e Celso Pereira, ambos pelo PSDB; Carlinhos da Farmácia, Ceará, Loro Castilho e Pedro Ivo pelo PPS; Nenzão e Chininha pelo PSB; Aurimar/PTB, Tato Aguilar/PSD e Lelau/PMB.

A história política da Câmara de Caraguá mostra que há cada 4 anos, no pleito, de 40 a 60% de Vereadores perdem a cadeira, ou seja, novos representantes são eleitos e não importa de quantos Vereadores é composto o Legislativo, sejam 17, 10 ou as atuais 15 cadeiras. Sendo assim, de 6 a 9 Vereadores serão eleitos e o restante de reeleitos e vice-versa.

Este ano, extraordinariamente o número poderá ser maior, tendo em vista que alguns Legisladores estarão galgando novos cargos ou até deixando a Vereança. Nos referimos ao Vereador Baduca Filho, que sai a vice na chapa de Gilson Mendes e Lelau, que se candidata ao majoritário. Um terceiro Vereador já teria divulgado através de seus correligionários e parentes que não irá se candidatar a reeleição, abrindo assim mais uma vaga no pleito deste ano.

Existe também a possibilidade de um Vereador mudar de idéia, ou seja, do cargo a qual irá se candidatar e um outro, que poderá ter a candidatura impugnada, devido a problemas jurídicos.

Já que estamos na época das análises e conjecturas, o Site de Notícias CONTRA & VERSO definiu 3 situações: A opinião informal das ruas, a análise com base nas legendas, ou seja, quais seriam os mais votados nos seus respectivos partidos e nas possíveis coligações que estão por vir e serão sacramentadas nas Convenções que tiveram início este mês.

Como estamos impossibilitados, devido a Lei Eleitoral vigente, de anunciar a opinião informal das ruas, que está relacionada aos trabalhos dos Vereadores nas Redes Sociais, por não haver uma Pesquisa de Opinião documentada, tabulada e registrada no Cartório Eleitoral, uma análise pelo voto de legenda e o resultado da coligação, que influencia a soma pelo Quociente Eleitoral, fica prejudicada, pois nomes não poderão ser citados, mas uma certeza é visível; o resultado da opinião informal seria diferente do analisado pelos votos da legenda e o resultado das coligações.

Deixamos a cargo do eleitor fazer a sua lista e debater com amigos, no grupo de trabalho e nas rodas de lazer quais vereadores serão reeleitos e quais serão os novos Legisladores. Façam suas apostas e que vença o melhor!!!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *