Em toda Gestão Política, geralmente quando várias cidades, bem próximas umas das outras formam uma região, um destes mandatários torna-se o líder natural dentre as outras. O Blog Contra & Verso acertou quando apontou que Felipe Augusto, Prefeito de São Sebastião seria o líder político do Litoral Norte.

Em Janeiro de 2017 este colunista que vos escreve elaborou um texto apontando que Felipe Augustos seria o Líder Político natural do Litoral Norte. Era o início de uma gestão de quatro anos onde os Alcaides eram todos novidade no que tange a gerência de suas cidades. De partidos diferentes e voltados unicamente para o desenvolvimento de suas cidades, seria óbvio que dentre eles, de forma natural, um se destacaria como o líder político do Litoral Norte, assim como foi com o ex-Prefeito Antonio Carlos da Silva em Caraguatatuba, líder regional por pelo menos oito anos, ditando as regras, ordenando as ações e defendendo a região com todas as forças pelo bem de seus moradores.

O Contra & Verso acertou quando elegeu que Felipe Augusto seria o líder político natural do Litoral Norte. Oriundo de um pai que já exerceu função na Administração Pública, graduado e pós-graduado na mesma área ao trabalhar com Antonio Carlos da Silva em Caraguatatuba, fato que gerou conhecimento, experiência e dividendos familiares, pois acabou casando com uma das herdeiras do ex-Prefeito, que é a atual Primeira-Dama, Michelli Veneziani e pelo fato de ser o único Tucano eleito na região, Felipe Augusto tinha o preparo exato e natural para ocupar a função de defensor e Empreendedor número um do Litoral Norte, o que, venhamos e convenhamos, tem feito com maestria.

A função de um Líder Político Regional não é tão fácil quanto parece. Acima de tudo defender a região, ser o primeiro a reclamar dos problemas regionais, pedindo uma solução imediata aos órgãos Federais e Estaduais, mostrar as esferas mais altas que a região, mesmo sendo uma só tem problemas distintos, diferentes em cada cidade nas subdivisões que a Administração Pública tem, como Infraestrutura, Urbanismo, Segurança, Educação, Acessibilidade, Meio Ambiente, Social, Turismo, Saúde, Obras Públicas, Finanças e Administração.

Ser um Líder Político Regional é pedir para todos e para cada um em separado ao mesmo tempo, seja a questão dos Royalties no geral, no Saneamento para uma cidade, Drenagem para outra, Desassoreamento de rios para uma terceira e mais Médicos para uma quarta cidade.

Este líder não é eleito como os Agentes Políticos do Executivo e Legislativo o são a cada quadriênio. Geralmente os Prefeitos de uma região confiam ao mais preparado esta função, isto quando um deles insurge dentre o grupo e inicia o questionamento aos órgãos públicos Estaduais e Federais a solução dos vários problemas existentes.

Esta representação resulta em visualização política e ao mesmo tempo um desgaste enorme, pois a liderança será sempre procurada pela Imprensa quando de um problema regional e por várias vezes a luta por solução sem um resultado positivo reduz a importância da liderança, mas isso não pode ser motivo de enfraquecimento, visto que a luta continua e os problemas não param, ou pior, sempre aumentam.

E nesta caminhada Felipe Augusto nunca parou ou esmoreceu. Lutando por melhorias para São Sebastião e pelo Litoral Norte, a liderança Política Regional sempre se renovou, pois dirigir uma cidade e liderar uma região não pode ter espaço para fraquezas, visto que a população cobra e liderar é quesito obrigatório para quem se comprometeu em gerenciar uma cidade ou região.

Ao longo destes quatro anos Felipe Augusto mostrou ser um verdadeiro gerente de Cidades e um Líder Regional, provando que o Contra & Verso acertou mais uma vez quando escreveu isso em Janeiro de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *