*Stefan Massinger

 

Novo ano, novo ciclo – novos episódios do mundo do vinho. Vamos dar um tempo nos fatos históricos e focar em algumas dicas ou fatos curiosos sobre esta bebida maravilhosa. Nos próximos 3 colunas vou lhes apresentar curiosidades sobre vinho. Fonte destes fatos é o blog do grupo wine, mas como sempre o texto aqui presente vem “adocicado” com meus comentários.  Bora lá com umas dicas então…

  1. O vinho não deve ser guardado na cozinha!

Você sabia que um dos piores lugares da casa para manter seu vinho armazenado é a cozinha, por conta do calor excessivo que costuma ser liberado pelos eletrodomésticos como forno e fogão? É algo, que reparo com frequência nas lojas de moveis – os nichos para guardar vinho em cima da geladeira. – o pior lugar, porque lá sobe calor. (lembramos de secar tênis atras da geladeira na nossa infância, né …) Depois o vinho fica lá torrando uns meses e está sendo aberto numa ocasião especial – e finalmente virou indesejavelmente vinagre…Se ainda não tinha se atentado a isso, é bom ficar atento. Afinal, a conservação adequada dos vinhos em casa faz toda a diferença na longevidade de nossa bebida favorita, que pode sofrer danos caso esteja em locais inapropriados.

  1. A Itália é o país que mais produz vinhos

De acordo com o levantamento mais recente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), a Itália produziu quase 50 milhões de hectolitros de vinho em 2020.

Algo, que sempre queremos saber, né – quem produz mais e quem consome tudo isso. Então número uno dos produtores é Itália!  Na sequência, com o segundo e o terceiro lugar, ficaram a França e a Espanha, com 46 e 40 milhões de hectolitros, respectivamente.

Já alertando, que durante a pandemia foi produzido menos por causa de falta de mão de obra nos campos, as safras, que não foram engarrafadas, por falta de mão de obra foram usadas para produzir álcool em gel (já pensou de higienizar suas mãos com um belo chianti clássico…???) e consequência desta bagunça toda em 2022 vai ser falta de vinho – no mundo…com todos consequências – preços mais altos, rótulos esgotados, fila de espera nas importadoras … veremos!

  1. Já quem mais consome é a população norte-americana

A OIV estima que o vinho seja consumido em cerca de 200 países, mas o campeão desse ranking é os Estados Unidos. A França e a Itália vêm logo depois, em segundo e terceiro lugar.

E onde ficam nossos irmãos do Portugal, que por uns anos lideraram este ranking? Caíram, sumiram – e ninguém sabe o porquê? Uma explicação possível é que o consumo português ficou estável, mas cresceu desproporcionalmente nos EUA … vale a pena investigar mais esta matéria e vou trazer notícias sobre este assunto numa das colunas este ano!

 

* Stefan Massinger nasceu na Áustria, sul de Viena, numa região de vinhos. Vive em Caraguatatuba, sendo Master do grupo Wine, o maior e-commerce de vinhos da América Latina, treinando interessados como empreender no mundo do vinho. Também tem uma empresa de venda de vinhos on-line e atua também como consultor independente de negócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *