A antiga Drogaria Oliveira, na qual trabalha o Vereador Carlinhos da Farmácia, hoje denominada Drogaria Fênix foi interditada novamente pela Vigilância Sanitária Municipal e pelo Conselho Regional de Farmácia na manhã de 29 de novembro – quinta-feira – no centro de Caraguatatuba. É a segunda vez em 19 meses que isso ocorre e por razões ainda maiores do que na vez anterior.

A interdição ocorreu após uma vistoria de praxe feita em conjunto pela Vigilância Sanitária Municipal e o Conselho Regional de Farmácia ao local, que culminou com a elaboração de um Boletim de Ocorrência na Delegacia Central de Polícia Civil no município e a detenção da proprietária, Tânia Gomes de Sá por Tráfico de Drogas e Crime contra Relação de Consumo. Não se sabe a razão da Polícia Militar não ter sido acionada quando do encontro das irregularidades.

Os Fiscais encontraram nas dependências do estabelecimento Talões de Receituário de Médicos e Dentistas em branco, com o carimbo e sem a assinatura do médico Fernando A.L. da Leite, da Casa de Saúde Stella Maris e da dentista Fátima Saleh Khanjar, além do receituário de controle especial em nome de vários pacientes em nome do médico Eden Crepaldi Ruggiero.

Foram encontrados também 2 Otoscópios. Na ocasião a proprietária Tânia Gomes de Sá permitiu a entrada e vistoria por parte dos fiscais e a farmacêutica responsável, Saula Salamene deixou o local durante a vistoria alegando estar sendo pressionada e sentindo-se mal.

Na vistoria foi encontrado no depósito da drogaria medicamentos sob controle especial da Portaria SVS/MS 344/98 sem autorização, com o armazenamento incorreto e sem a comprovação necessária do cadastro no SNGPC – Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados – além da falta das respectivas notas fiscais.

Foram encontrados também remédios com embalagem violada e fracionados bem como vencidos como Citoneurin 5000, Dexa-Citoneurin e Acetilcisteina de 100 mg.

Além da prisão em flagrante da proprietária da farmácia Tânia Gomes de Sá e consequente liberação um dia depois por ordem judicial, o Delegado Leandro Reis da Silva abriu inquérito contra a Farmacêutica responsável, Saula Salamene e os médicos Fernando Leite e Eden Ruggiero e a dentista Fátima Khanjar.

Esta não é primeira vez que a drogaria é interditada pelos órgãos de fiscalização. Em abril de 2017 foram encontrados mais de 400 embalagens de remédios com a validade vencida há três anos. Nesta ocasião o Vereador pressionou o Prefeito que por sua vez, ordenou que o Secretário de Saúde trocasse a chefe da Vigilância Sanitária. Atualmente Carlinhos da Farmácia concorre a Presidência do Legislativo numa movimentada eleição que ocasionou uma crise política na cidade.

Até o fechamento deste texto a Drogaria mantinha-se fechada com o lacre de interdição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *