Dentre tantos assuntos a serem discutidos e comentados, o Poder Legislativo não poderia ser preterido deste rol. Afinal de contas, a Câmara Municipal faz parte da tríade do poder constituído, que tem a Imprensa como o quarto poder.

 

Observação

Esta coluna foi antecipada devido a repercussão na cidade, nas Redes Sociais e na imprensa local.

 

Sessão

A Câmara Municipal se reuniu, como faz toda terça, para a sua Sessão Ordinária semanal. Até aí nada de mais, se não fosse a presença de um grupo de “manifestantes”, na sessão do dia 14 de agosto.

 

Manifestantes

Um grupo de manifestantes, composto por aproximadamente 20 pessoas, combinou a sua ida com antecedência, via Redes Sociais. A ideia era reivindicar algumas melhorias.

 

Ofício

Para tanto, elaboraram um ofício que foi protocolado na Câmara. Neste ofício várias solicitações foram feitas quanto a Saúde, Educação, Segurança Pública e outros, como manutenção de vias públicas.

 

Leitura

A intenção do grupo era ter o seu ofício lido no Expediente da Sessão e ouvir dos Vereadores, o que seria feito para solucionar as questões.

 

Não leram

A baderna generalizada teve início pelo fato de Bagre Filho não ter lido o tal ofício reivindicatório.

 

Norma

O que o grupo desconhece é que os ofícios quando protocolizados podem ser lidos a qualquer momento, ficando a cargo do Presidente fazer isso.

 

Manifestação

Devido a não leitura a “tchurma” achou por bem protestar por isso, causando uma bagunça generalizada que interrompeu o bom andamento da sessão.

 

Manifestar

Este jeito de manifestar é o menos correto. Colocação de faixas e cartazes são admitidos e um certo barulho é louvável, porém não pode interromper o andamento da sessão.

 

Alternativa

Ao Presidente da Câmara ou da Sessão Ordinária cabe, além de encerrar a sessão, a evacuação das galerias, solicitando que a Polícia Militar faça isso.

 

Protocolo

Nestes casos existe um protocolo Legislativo, onde um funcionário, assessor, o jornalista da casa vai até o grupo reclamante, ouve do líder as solicitações, organiza um grupo de no máximo cinco pessoas, para serem recebidas pelo Presidente da Casa em momento por ele agendado, geralmente no intervalo.

 

Release

Nestes casos ambas as partes discutem o assunto e ainda sai um Release fresquinho para ser distribuído à imprensa.

 

Indignação

A movimentação feita não justifica, mas o objetivo dela foi o reivindicar melhorias para a cidade, uma melhor atuação dos Vereadores e protestar contra a inoperância visível da atual Mesa Diretora da Câmara, encabeçada por Bagre Filho.

 

Pauta

Na pauta da sessão constavam a votação da criação do Conselho Tutelar do Idoso e uma suplementação de verba para a construção do Pronto-Socorro na Santa Casa.

 

Interpretação

É nessa hora que mora o perigo, o perigo da Interpretação. Obviamente que a Câmara usou a pauta para crucificar os manifestantes.

 

Interpretando

Agora os manifestantes são os culpados pelo atraso, de uma semana, da aprovação do crédito. Ora faça-me um favor, uma semana virou o tema para desacreditar a manifestação e colocar o futuro Pronto-Socorro como coitadinho???

 

Atrasos

Apenas para o conhecimento do leitor, internauta e seguidor do Contra & Verso. Sete Dias para aprovar um crédito não é nada, comparado com o tempo que levará para o Edital ser publicado, as empresas se prepararem com os documentos, abertura dos envelopes e o prazo por lei para recursos e homologação, bem como para a obra, dentre outros. Some a isso pelo menos uns seis a nove meses e não será uma semana que irá degringolar toda uma estrutura que há muito precisa ser melhorada.

 

Inaceitável

O que é inaceitável neste caso é a interpretação vergonhosa que estão dando para o caso, usando do crédito suplementar para justificar a falta de atenção para com os manifestantes.

 

Repercutiu

E o caso repercutiu em ambas as partes, leia-se Manifestantes via Redes Sociais e o locutor oficial do Rádio Jornal da FM local. Só na semana passada foram duas ocasiões para falar sobre o assunto.

 

Repercussão

Na edição de hoje do programa o locutor dedicou pelo menos 30 minutos para falar novamente sobre o caso, culpando novamente os manifestantes como os culpados pela não votação da verba da Saúde.

 

Convite

Depois de afirmar que há intenção em processá-lo na justiça pelas críticas e opiniões proferidas, o locutor fez por bem convidar os manifestantes para um debate no estúdio sobre o assunto.

 

Escolha

Uma das lideranças dos manifestantes mandou recado para esta redação informando que irá ao tal “debate” a hora que quiser e não quando ele convidar.

 

Repetindo

Ao mesmo tempo afirmam que irão novamente a Câmara para reivindicar as melhorias escritas no ofício.

 

Sabe

Uma fonte me confidenciou qual a razão para tanta pressa sobre esta verba, mas eu só vou contar depois que confirmar!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *